RELATO DO ENCONTRO PARA DISCUSSÃO DOS CURSOS TÉCNICOS DE TELECOMUNICAÇÕES

O encontro dos CURSOS TÉCNICOS DE TELECOMUNICAÇÕES foi realizado no dia 1 de outubro de 2010 e contou com a participação de 27 alunos e 13 professores.

Após a contextualizaçao dos cursos, realizada pelo professor Evandro Cantú, foi aberta aos alunos manifestações sobre os pontos para avaliação dos cursos e outras sugestões, mediada pelo professor Ederson Torresini.

Síntese das discussões

Horários de aula

Os alunos chegam sistematicamente atrasados por vários motivos tais como: horário de pico entre término do expediente e início das atividades escolares, transporte coletivo ineficiente, pouco tempo entre o término do experiente e o início das atividades escolares impossibilitando a restauração dos alunos. O horário de término também não é adequado devido as dificuldades de transporte e cansaço dos alunos.

Adequar os horários de início e término das aulas para início as 19 h e término as 22 h facilitaria a frequência dos alunos.

Integração das habilitações de Telefonia e Redes de Computadores e duração do curso

O integração das duas habilitações, telefonia e redes, é interessante, uma vez que o profissional de Telecomunicações trabalha com a convergência de tecnologias.

O curso com 4 semestres permitiria aos alunos um melhor acompanhamento do curso e maturação do aprendizado, podendo ainda incluir unidades curriculares que permitam diminuir a deficiência de conhecimentos básicos dos ingressantes, como matemática.

A instrumentação e eletrônica trabalhada no curso está muito voltadas ao trabalho de bancada, que tem pouca demanda por técnicos hoje, e a área de instrumentação e equipamentos de teste de campo praticamente inexiste no curso.Foi sugerida a integração das disciplinas de instrumentação e cabeamento estruturado.

Alunos vem curso muito voltado para a área de eletrônica e telefonia (influenciado por empresas como Intelbras e Digitro).

O curso de Redes de Computadores só dá a visão ao aluno da área na 3a fase. Nas fases anteriores a ênfase é em eletrônica.

A 3a fase de Telefonia é muito desmotivante, praticamente só teoria.

Se em cada fase se trabalhasse em pouco da área fim de telecomunicações permitiria aos alunos realizarem o estágio antes.

Planejamento de ensino e capacitação docente

Foi sugerido que os professores busquem capacitação utilizando certificações como Cisco, Furokawa, etc.

Os alunos sentem falta de planejamento no início de cada semestre e também uma renovação no currículo dos cursos

Poderia melhorar a relação professor aluno e também a interação entre professores de diferentes disciplinas e fases.

Apostilas e material didático muitas vezes desatualizado.

Alunos vem a necessidade de mais aulas práticas.

Seria interessante voltar a formação técnica mais para o lado aplicado. Engenharia poderia dar mais ênfase a teoria.

Foi sugerido utilizar a prática como fator de motivação para o estudo, trabalhando os conceitos numa espiral, evoluindo sobre as áreas técnicas de telecomunicações.

Projetos Integradores

Os projetos integradores poderiam evoluir em cada semestre com aplicações práticas, as quais poderiam ser planejadas a partir da leitura dos alunos que atuam no mercado de telecomunicações.

Nos projetos integradores os alunos poderiam realizar tarefas necessárias para a infra-estrutura do campus, como modificações no cabeamento e instalação de computadores.

Os projetos integradores são instrumentos pedagógicos onde importa o processo, o trabalho em grupo e o desenvolvimento da capacidade de resolver problemas.

Estágio

Os projetos integradores poderiam validar o estágio.

Foi questionada a obrigatoriedade do estágio, pois quem trabalha fora da área, muitas vezes, tem que sair do emprego para realizar o estágio.

A relação da escola com as empresas está deficiente, refletindo no currículo dos cursos que estão afastados da realidade do mercado de telecomunicações.

Falta um direcionamento dos alunos para o mercado de trabalho, pois, apesar de haver muitos alunos que trabalho na área, há outros tantos que não trabalham e que gostariam de ser inseridos no mercado.

Um dos objetivos do estágio é conhecer as empresas e servir também de porta de entrada para o mercado de trabalho.

Falta um veículo melhor para divulgar as oportunidades de estágio.

Curso Técnico

Vem o curso técnico como importante e muitos alunos tem receio que a oferta de curso de engenharia possa vir em detrimento do técnico.

Caso não haja oferta de cursos técnico, acreditam que os Analistas e Tecnólogos vão acabar desempenhando este papel em lugar dos técnicos.

EC

Esta entrada foi publicada em Cursos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *